Publicada em 19/05/2016 às 00h00. Atualizada em 18/05/2017 às 12h15

A força da amamentação!

A médica pediatra e professora, Ana Luiza Velloso da Paz Matos, nos fala sobre os benefícios da amamentação tanto à mamãe/doadora de leite quanto ao bebê.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

Um pouco de história

Em setembro de 2010, países da Ibero-América que possuem Banco de Leite Humano iniciaram um movimento para terem um “Dia Nacional de Doação de Leite Humano” e a data proposta para a comemoração foi o dia 19 de maio. O Brasil, que desde 2004 tinha o 1º de outubro reservado para celebrar o “Dia Nacional de Doação de Leite Humano”, aderiu à mudança da data, com o objetivo de que todos os países comemorassem na mesma data, fortalecendo, assim, a criação do “Dia Mundial de Doação de Leite Humano” (instituído pela Lei nº 13.227, de 28 de dezembro de 2015).

Vantagens da amamentação para o bebê e para a mãe

O leite materno é um dos fortes aliados no combate à mortalidade infantil. Na última década, a taxa caiu praticamente pela metade (47%) no país. Uma grande conquista, construída a cada dia que conta com a contribuição das campanhas de incentivo à amamentação e doação de leite materno. A amamentação exclusiva até o sexto mês ajuda a salvar, por ano, mais de seis milhões de bebês em todo o mundo. O bebê que mama no peito não precisa de nenhum outro alimento nem de líquidos, já que o leite materno é completo e ainda protege contra várias doenças. A proteção oferecida pelo aleitamento é dose dependente, ou seja: quanto maior o período de tempo em que o bebê for amamentado, mais estará protegido em termos de imunidade.

A mulher que amamenta perde mais rápido o peso que ganhou durante a gestação, fica protegida de diversas doenças, diminui o sangramento do útero (no período após o parto), previne-se contra a anemia, reduz suas chances de desenvolver osteoporose e câncer de mama, útero e de ovário. Além disso, a amamentação promove e estimula o vínculo afetivo, imprescindível ao ser humano.

Confira, abaixo, o quadro com alguns desses ganhos para a mãe e para o bebê

Compartilhe

Autor(es)

  • Ana Luiza Velloso da Paz Matos / CRM: 7347-BA

    Médica Pediatra/Neonatologista. Pós-graduada em Psicologia Analítica (BAHIANA & UFBA) e Psiquiatria (Estácio/Portal F). Mestre em Medicina Interna (UFBA). Prof.ª da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (curso de Medicina). Vice-Presidente da Sociedade Baiana de Pediatria. Membro da Sociedade Baiana de Pediatria (Departamento de Aleitamento Materno). Responsável Médica pelo Banco de Leite do Instituto de Perinatologia da Bahia-IPERBA SESAB. Consultora Internacional em Aleitamento Materno (International Board Certfied Lactation Consultant). Membro da International Lactation Consultant Association.

Saiba Mais

     

    Redes Sociais