Publicada em 25/12/2012 às 00h00.

Alimentação ortomolecular: você sabe o que é?

Dieta associa alimentação balanceada com ajuste de nutrientes. Saiba mais.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

"...a dieta ortomolecular tem como objetivo principal desintoxicar o organismo e oferecer a ele tudo que está faltando, para prezar o equilíbrio energético e nutricional".

Baseada na medicina ortomolecular, a dieta ortomolecular tem como objetivo principal desintoxicar o organismo e oferecer a ele tudo que está faltando, para prezar o equilíbrio energético e nutricional. Além disso, a dieta tem a finalidade de neutralizar os radicais livres e, consequentemente, desacelerar o processo de envelhecimento. Alguns fatores podem exacerbar a produção dos radicais livres, tais como estresse, poluição, álcool, cigarro e uma alimentação inadequada, desencadeando lesão celular, aumento das chances de doenças e acelerando o processo de envelhecimento e desgaste orgânico. 

O princípio desse tipo de dieta é consumir vitaminas, minerais e aminoácidos que, além de ajudar a manter o equilíbrio orgânico, suprem algumas carências que podem ocorrer por conta do excesso de radicais livres. A primeira etapa do processo para elaboração da dieta é a realização de exames para avaliar a concentração de vitaminas e mineiras no organismo (mineralograma ou teste do cabelo). Após esta avaliação, tem início o trabalho do nutricionista, que elabora um plano alimentar personalizado e individualizado. Vale lembrar que não existe um cardápio específico para a dieta ortomolecular, isso vai depender de cada indivíduo, o qual receberá orientações de acordo com as suas necessidades.

"...a dieta ortomolecular é rigorosamente balanceada e prioriza os alimentos antioxidantes, ricos em magnésio, selênio e zinco".



Assim, a dieta ortomolecular é rigorosamente balanceada e prioriza os alimentos antioxidantes, ricos em magnésio, selênio e zinco. Além disso, é muito importante o consumo de alimentos frescos como verduras e frutas, mais viçosas, pois são principais fontes de vitaminas A, E e C, também antioxidantes. A fonte proteica deve ser oriunda de carnes magras já que nos oferece os aminoácidos de que precisamos para manter a integridade do tecido muscular e impulsionar algumas funções vitais do organismo. Os carboidratos, especialmente integrais, nos proporcionam energia. De preferência, o ideal é que os alimentos sejam orgânicos, pois assim elimina-se o consumo de agrotóxicos. 



Além disso, para favorecer o equilíbrio do organismo é necessário adotar, antes de qualquer outra coisa, a ingestão mínima de produtos industrializados, excluindo o uso de sucos de caixinha, caldos de carne, molhos prontos, leite de vaca, manteiga, margarina e adoçante (este liberado apenas para os diabéticos). Em seguida, deve ser priorizado o consumo de verduras e frutas, sempre frescas. 

A dieta ortomolecular não possui restrições severas. No entanto, alguns cuidados devem ser tomados com o intuito de garantir todos os benefícios que são propostos a partir da adesão da dieta. Entre essas dicas destacam-se: 

•    Aumentar o consumo de frutas e hortaliças, frescas e orgânicas;

•    Não cozinhar demais os alimentos, principalmente os vegetais;

•    Não deixar os alimentos na geladeira por mais de três dias;

•    Variar os alimentos alternando tipos diferentes a cada dia;

•    Praticar atividade física;

•    Fazer exames regularmente;

•    Não se alimentar em intervalos muito curtos e não comer grandes quantidades de uma só vez;

•    Não tomar líquido durante as refeições;

•    Não comer apressadamente e não pular refeições;

•    Evitar os alimentos industrializados, frituras, refrigerantes, conservas e embutidos.

Compartilhe
 

Redes Sociais