Publicada em 06/09/2018 às 17h16. Atualizada em 10/09/2018 às 11h31

Amamentação: prevenção, cuidados e dicas

Algumas práticas podem prejudicar a produção de leite durante a gravidez.

CONTEÚDO HOMOLOGADO
Compartilhe

O aleitamento materno vem sendo incentivado como prática que ajuda a promover a saúde e a qualidade de vida de bebês e mães. Porém, alguns cuidados devem ser tomados durante o período da gestação. Para informar, cada vez mais e melhor, o seu público-leitor, o iSaúde Brasil entra nessa frente de promoção da amamentação natural e esclarece algumas dúvidas com a médica Ana Luiza Velloso da Paz Matos. 

iSaúde Brasil – A amamentação é de extrema importância para o bebê e para a mãe. Quais práticas realizadas durante o período da gravidez impedem o corpo de produzir o leite materno?

Ana Luiza Velloso da Paz Matos – A gestante deve fazer um bom acompanhamento de pré-natal, com alimentação saudável (evitar industrializados, embutidos, sal em excesso), usando vitaminas e ferro suplementar. Ter as mamas rotineiramente examinadas, acompanhar o crescimento das mesmas, evitando fazer estimulação pelo risco de desencadear contrações uterinas. Não há práticas que impeçam a produção do leite.    

iSaúde Brasil – Há alimentos que não podem ser ingeridos durante a gravidez, pois podem interferir na qualidade do leite materno?   

Ana Luiza Velloso da Paz Matos – Isso é mito. O mecanismo da produção do leite é hormonal, não haverá influência de alimentos ingeridos durante a gestação.

iSaúde Brasil – Sabemos que a amamentação tem muitos benefícios para a saúde do bebê. Quais doenças podem surgir na criança devido à falta de amamentação? 

Ana Luiza Velloso da Paz Matos – O aleitamento materno reduz o risco das seguintes patologias, sendo dose dependente (quanto mais tempo de aleitamento maior a proteção): asma, bronquiolite, dermatite atópica, diabetes tipo 1 e 2, doenças inflamatórias intestinais, doença celíaca, gastroenterites, infecções do trato respiratório superior e inferior, leucemia linfoide, otite média, obesidade e morte súbita. Além de que têm sido evidenciados maiores índices de QI impactante em maior empregabilidade na vida adulta.    

iSaúde Brasil – Existem técnicas que podem ser feitas para induzir o corpo a produzir mais leite durante o período de amamentação? 

Ana Luiza Velloso da Paz Matos – A produção de leite ocorre por estimulação das mamas, ou seja, pela sucção ou ordenha, sendo este último usado caso ocorra algum impedimento ou dificuldade para o bebê sugar/deglutir ( ocorre com bebês em prematuridade menor que 34 semanas, com doença respiratória ou doença cardíaca).

iSaúde Brasil – Quais as consequências, para o bebê e para a mãe, do excesso de produção de leite materno denominado hiperlactação? 

Ana Luiza Velloso da Paz Matos – A puérpera que tem uma superprodução, precisa de orientação sobre o controle do fluxo e posicionamento, para que o bebê não engasgue. O leite excedente pode ser doado para um banco de leite.  A mãe deve usar compressas frias após a ordenha.

iSaúde Brasil – É normal uma mama produzir mais leite do que a outra? E quando isso ocorre, há algum risco para a mãe? 

Ana Luiza Velloso da Paz Matos – Normalmente, a mama produz leite em resposta à estimulação. Se uma mama é mais estimulada, a produção nessa será maior e haverá uma hipertrofia da mesma, havendo então uma redução, comparativamente, daquela que é pouco estimulada. 

iSaúde Brasil – O que são os ductos de leite obstruídos? E como resolvê-los?

Ana Luiza Velloso da Paz Matos – Obstrução ductal é o acúmulo de leite dentro de uma região da mama, o leite fica retido no ducto, podendo surgir um “ponto” no mamilo, que impede a saída do leite. Causas: falta de esvaziamento da mama, dificuldade do bebê de ordenhar e extrair o leite, mau posicionamento, má pega, compressão dos dedos sobre a mama durante a amamentação, sutiã apertado, comprimindo uma região, uso de cremes (obstrução de poros).

iSaúde Brasil – Pode ocorrer o aparecimento de nódulos nas mamas durante a amamentação? Se sim, quais os tipos de nódulos e como tratá-los?

Ana Luiza Velloso da Paz Matos – O que mais frequentemente ocorre é o ingurgitamento, que forma alterações que se assemelham a nódulos (leite retido). O leite retido torna-se viscoso, sendo mais difícil a ordenha.   

iSaúde Brasil – É verdade que a amamentação funciona como efeito contraceptivo para a mãe? Como ocorre esse processo no corpo?

Ana Luiza Velloso da Paz Matos – A amenorreia lactacional tem ação contraceptiva, porem só se o aleitamento materno estiver sendo praticado por livre demanda, sem horários pré-estabelecidos e enquanto a menstruação não é reestabelecida.

Na gestação, ocorre inibição da produção de leite. No parto, com a saída da placenta, há o aumento do nível de progesterona no sangue, com o consequente enchimento das mamas com o colostro. Havendo sucção, há estímulo das terminações nervosas do mamilo e da aréola, que chegam até o hipotálamo, induzindo a secreção de prolactina, pela hipófise anterior, e ocitocina, pela hipófise posterior. O estímulo da sucção e o aumento da prolactina levam à inibição do hormônio gonadotrófico e à interrupção do processo de ovulação.

Compartilhe

Saiba Mais

     

    Redes Sociais