Publicada em 18/09/2013 às 12h23. Atualizada em 18/09/2013 às 20h00

Como aliviar as cólicas menstruais por meio da alimentação?

Muitas mulheres sofrem mensalmente, normalmente antes do período menstrual, com as cólicas de intensidade variável, podendo chegar a um nível que compromete suas atividades rotineiras. Mas, qual a causa dessas cólicas?

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

Também chamada dismenorreia, que, ao pé da letra, significa fluxo menstrual doloroso, a cólica menstrual pode ter uma doença de base (endometriose, cistos nos ovários, mioma) ou ser devida ao aumento de determinadas prostaglandinas, substâncias químicas sobre controle hormonal sendo, o estrógeno, um estimulante. Essas substâncias regulam a contração da musculatura uterina e, quando em excesso, a intensidade é maior levando a sensação dolorosa na região abdominal. “Ah, mais o que a alimentação tem a ver com isso?” Bem resumidamente essas prostaglandinas são provenientes dos ácidos graxos ômega-6, ácido graxo obtido por meio da alimentação e, portanto, o que colocamos diariamente para dentro do nosso corpo influencia na melhora ou piora da dismenorreia.

 

Abaixo estão algumas dicas:

Aumente o consumo de fontes de ômega-3:

Encontrado em peixes de águas profundas e frias (salmão, atum, arenque, cavala, sardinha), nas sementes de linhaça (deixadas de molho) e chia,  em suplementos de óleo de peixe, o ômega-3 tem um papel no controle da dor associada às cólicas menstruais. O aumento do consumo de ômega-3 e redução da ingestão de alimentos fontes do ômega-6 (carne vermelha, óleos de soja, de milho) podem contribuir para a redução da dor pela menor produção das prostaglandinas.

Aumente o consumo de frutas, hortaliças, sementes (gergelim, abóbora, girassol), grãos/cereais integrais (aveia, arroz, macarrão e pão): O consumo de fontes vegetais propicia a regulação hormonal reduzindo o estímulo do estrógeno sobre o endométrio, auxiliando no controle da dor e sua intensidade.

Além dessa ação, nesses alimentos são encontrados o cálcio em sua forma de melhor aproveitamento (couve, espinafre, repolho, brócolis), a vitamina B1(caju, suco de laranja, uva, semente de abóbora) e a vitamina E (nozes, amêndoas, linhaça, semente de girassol e abóbora, abacate, açaí), que são nutrientes associados com a melhora da dor, seja pela redução da contração muscular uterina ou da produção das substâncias químicas.

Por outro lado, o consumo excessivo de sal, açúcar, gordura saturada e trans (carne, leite integral, queijos amarelos, sorvetes, biscoitos recheados, margarina) contribuem para o agravamento das cólicas menstruais.

Portanto, para aliviar as incômodas cólicas menstruais, busque sempre o equilíbrio investindo em uma alimentação com os nutrientes adequados presentes nas frutas, hortaliças, sementes oleaginosas, nos peixes e grãos integrais. 

Palavras Chave:

Compartilhe

Saiba Mais

     

    Redes Sociais