Publicada em 30/06/2011 às 21h07. Atualizada em 16/07/2011 às 10h04

Hipertensão: Você sabe cuidar de seu coração?

Saiba o que é hipertensão, como se cuidar e o que provoca essa doença.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

Em 26 de abril comemora-se o Dia Nacional de Combate à Hipertensão. A pressão alta, como é comumente chamada, acomete cerca de 40% da população brasileira. Trata-se do principal fator de risco para acidente vascular cerebral (AVC) e o segundo, de infarto do miocárdio. Essas são as doenças que mais matam no mundo e, por isso, é tão importante entender a hipertensão para cuidar dela e preveni-la.

A pressão arterial é a força com a qual o coração bombeia o sangue que corre pelos vasos. Ela é determinada pelo volume de sangue que sai do coração e a resistência que esse sangue encontra para circular pelo corpo.


A pressão arterial é a força com a qual o coração bombeia o sangue que corre pelos vasos. Ela é determinada pelo volume de sangue que sai do coração e a resistência que esse sangue encontra para circular pelo corpo. Há dois componentes da pressão: a sistólica e a diastólica. A primeira diz respeito à contração do coração para levar sangue para as veias. É o valor mais alto e o primeiro a ser medido. O saudável é 120mm Hg (milímetros de mercúrio). Já a pressão diastólica representa o momento em que o coração relaxa para se abastecer de sangue. É o menor valor e o segundo a ser medido. O normal fica em torno de 80mm Hg.

A hipertensão ocorre quando a pressão que o sangue exerce nas paredes da artéria é forte demais. A partir de 140/90mm Hg (ou 14 por 9) já existe um problema. Mas não necessariamente pode-se dizer que essa pessoa é hipertensa. O diagnóstico seguro nunca é dado a partir de uma medição isolada. É preciso tomar essa medida algumas vezes para confirmar o resultado. Quem comeu muito sal antes de medir a pressão ou quem está muito estressado na hora da medição pode ter um resultado alto, mas esporádico. Hipertenso é quem tem o problema de forma contínua.

O que provoca essa doença é uma predisposição genética, que pode aumentar a partir de hábitos ao longo da vida. Mas é de fato muito importante ficar atento. A hipertensão arterial é uma condição assintomática. O hipertenso vai adaptando-se ao aumento da pressão e, muitas vezes, só percebe quando seu organismo já está afetado. Não é qualquer dor de cabeça que vai lhe mostrar se você é hipertenso. É o cuidado em procurar o médico, fazer as medições para ter o diagnóstico correto.

O que provoca essa doença é uma predisposição genética que pode aumentar a partir de hábitos ao longo da vida. Mas é de fato muito importante ficar atento. A hipertensão arterial é uma condição assintomática.


Se esse problema fosse controlado, quase metade das doenças do coração iria desaparecer. Por isso, o diagnóstico deveria ser uma prioridade total do governo. O nível de assistência à população tem que ser aprimorado, da mesma maneira que há medidas de massa, vacinas para controle da poliomielite, por exemplo. Infelizmente, ainda temos um sistema de saúde que não está plenamente organizado com relação à assistência primária ideal para dar o diagnóstico. Precisamos evoluir bastante e só temos a ganhar sabendo que metade das mortes pode ser evitada com um cuidado prévio.

 

 

 

Dúvidas


Há casos em que apenas a alimentação e exercícios podem substituir os medicamentos?

Não, acho que não. Existe uma visão errada que é: não quero tomar remédio e posso fazer isso porque farei exercício. A questão é que, quem tem hipertensão leve, mas já foi diagnosticada, tem que controlar. E controlar também com remédios. As duas coisas têm que andar juntas, mas, essa mudança de postura, eu consideraria coadjuvante no tratamento. Pode parecer politicamente incorreto, mas há uma aversão aos remédios, hoje em dia, sobre a qual precisamos ser francos. O fato real é que, alguém mudar completamente sua dieta e virar um atleta, é muito difícil. As pessoas até fazem isso por um tempo, depois param e voltam. A pressão precisa de um controle constante. Use a droga para garantir. Agora, aqueles que conseguem emagrecer, parar de comer sal, fazer  exercícios  e deixar de fumar podem até rever o tratamento. Mas o que a minha experiência mostra é que a real eficácia dessas medidas não é tão concreta quanto as farmacológicas.

E filhos de hipertensos? Como fazer para prevenir doenças crônicas?

Bom, quem não é hipertenso não precisa de remédio. Aí sim, sabe que tem tendência, tem que ficar atento aos hábitos de vida. Evitar tudo o que colabora com a pressão alta. Não engordar muito, afastar a dieta rica em sal, fazer atividades físicas e a medição de tempos em tempos. Estar sempre alerta. É importante observar nas crianças com a alimentação desregrada e tendência ao sedentarismo, que isso tende à obesidade e, por sua vez, à pressão alta. Na verdade, a níveis pressóricos mais altos precocemente. Então, quem tem casos de hipertensão na família precisa estar alerta e redobrar os cuidados 

Compartilhe

Dica para prevenir a crise de hipertensão

Eu apostaria em uma só e não em 10. Quem vê uma lista de dez, vai pensar logo que precisa de muita coisa, que é difícil. Mas o que eu diria é: tome o remédio direito. Se já foi diagnosticado, faça o uso correto da medicação. É ela quem vai garantir a estabilidade da sua saúde. Existem diversas opções de medicamentos e quase nenhum apresenta efeitos colaterais. Os homens antigamente queixavam-se do medo de ficar impotentes, mas as novas drogas praticamente aboliram esse efeito.

Serviços Gratuitos
  • ADAB- Unidade De Saúde Multiprofissional
    Escola Bahiana De Medicina E Saúde Pública
    Tel: (71) 3276 8200
    Av. Dom João VI, nº 275, Brotas, CEP: 40290-000, Salvador, Bahia
  • Hospital Universitário Prof. Edgard Santos - HUPES
    Tel: (71) 3283-8392/8383
    Rua Augusto Viana S/N, Canela, Cep 40.110-060, Salvador, Bahia
 

Redes Sociais