Publicada em 16/07/2018 às 00h00. Atualizada em 16/07/2018 às 10h22

Lipoaspiração, lipoenxertia ou lipoescultura?

Conheça as indicações e diferenças entre esses procedimentos na entrevista com o cirurgião plástico Dr. Eduardo Gusmão.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

A lipoaspiração é uma cirurgia plástica e está entre os procedimentos mais comuns em nossa especialidade. “O procedimento é realizado através de pequenas (e discretas) incisões, por onde são introduzidas cânulas apropriadas ao procedimento. Através dessas cânulas e com o auxílio de um aparelho aspirador, a gordura é retirada de áreas específicas sob a pele”, explica o cirurgião plástico Dr. Eduardo Gusmão em entrevista ao iSaúde. Saiba mais sobre o assunto. 

iSaúde – Quais são as diferenças entre lipoaspiração e lipoescultura?

Dr. Eduardo Gusmão – A lipoaspiração é o procedimento que retira a gordura de depósitos localizados. Essa gordura retirada também pode ser tratada e reposicionada em outras regiões do corpo, nas quais se deseja o aumento ou melhor contorno, como, por exemplo, a região glútea. O procedimento de colocação da gordura é chamado lipoenxertia. A associação da lipoaspiração com a lipoenxertia chama-se lipoescultura. É muito comum, por exemplo, retirar gordura da região do abdome e cintura e promover, no mesmo procedimento, o aumento do glúteo.

iS – Pacientes magros podem fazer lipo?

Dr. Eduardo Gusmão – Sim. A lipoaspiração é um procedimento indicado para remoção de gordura localizada em determinadas regiões do corpo. Ela não deve ser proposta com o objetivo de perda de grandes quantidades de gordura ou de emagrecimento. Dessa forma, não devemos indicar a lipoaspiração em pacientes obesos ou com sobrepeso. O ideal é sempre realizarmos a lipoaspiração no paciente magro, que apresente depósitos localizados e indesejados de gordura. 

iS – Quando se deve optar pelo aumento do bumbum (lipoenxertia glútea)?

Dr. Eduardo Gusmão – O enxerto de tecido adiposo (gordura) na região glútea traz vários benefícios ao contorno corporal, pois, além de promover o aumento de volume, ele pode modificar o contorno da região; aumentar a projeção de uma parte específica, destacar mais o polo superior do glúteo e ainda corrigir pequenas irregularidades da pele e do subcutâneo, trazendo mais beleza e harmonia à relação cintura-quadril. Temos vários estudos que mostram que esse tecido, após pequena absorção, é efetivamente integrado ao corpo, e a durabilidade dos resultados impressionam. Porém, o ponto mais importante para a indicação é a vontade do ou da paciente.

iS – Em quanto tempo é possível retornar às atividades rotineiras, como ir à academia, dirigir etc.?

Dr. Eduardo Gusmão – Quando realizada isoladamente, a lipoaspiração permite um retorno relativamente precoce às atividades habituais. O fato de ser realizada através de pequenos cortes (em torno de 5mm) e de não termos tanta precação com o processo de cicatrização, como nas grandes incisões, nos faz permitir (e desejar) uma movimentação livre muito precoce. Gostaria de ressaltar que o quadro de dor nas áreas manipuladas pode ser um limitante ao retorno imediato ao trabalho e que todo paciente submetido à lipoaspiração, mesmo estando em boas condições para retorno à sua vida normal, deve dedicar uma parte do seu tempo às sessões de drenagem linfática, que devem ser realizadas por um fisioterapeuta competente e habilitado para essa função. 

Compartilhe

Saiba Mais

     

    Redes Sociais