Publicada em 04/12/2014 às 00h00. Atualizada em 04/12/2014 às 12h30

Mitos e verdades sobre lentes de contato

Como funcionam as lentes de contato? Usar lentes coloridas prejudica a visão? Confira algumas verdades sobre o tema.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

As lentes de contato são uma boa opção para quem não gosta ou não pode usar óculos. Elas podem ser gelatinosas, rígidas, descartáveis, coloridas... o mais importante é saber qual a mais indicada para o seu caso. Confira o guia que a Dra. Cristina de Castro Lima Vargens Sena, médica oftalmologista,preparou especialmente para o iSaúde Bahia.

iSaúde Bahia - Como funcionam as lentes de contato? Onde elas ficam localizadas? Como são aplicadas?

Dra. Cristina de Castro Lima Vargens Sena - As lente de contato ficam localizadas em cima da córnea que é uma região nobre do olho porque não tem vasos sanguíneos. É uma região avascular e, então, as células da córnea se alimentam do que é passado através do oxigênio do ar e do filme lacrimal, que é a lágrima que reveste a córnea. Toda a nutrição da córnea é feita nisso, portanto, quando se coloca algo em cima dessa região, deve-se ter o cuidado de utilizar um produto de boa qualidade, obviamente, e que esteja em boas condições para permitir que esse processo seja contínuo. As lentes devem ter boa oxigenação, para que possam ter permeabilidade e a córnea continuar se nutrindo.

iSB - As lentes de contato são indicadas para tipos específicos de problemas de acuidade visual ou todos os tipos podem se beneficiar delas? Como funciona?

Dra. Cristina de Castro Lima Vargens Sena - Existem várias indicações: estéticas, para mudança de cor do olho ou um paciente que tenha alguma alteração em alguma das estruturas do olho que precise fazer uma operação estética. Por exemplo, paciente que tenha algum problema corneano, que é córnea branca, representa um caso em que pode ser utilizada uma lente pintada por cima para disfarçar esse problema. Por indicação médica, quando se tratar de alguma alteração em que somente a lente corrige. Por exemplo, em alguns problemas como anisometropia em crianças, quando a diferença de grau é muito grande de um olho para o outro e, então, não se consegue corrigir com os óculos, uma lente de contato consegue. 

iSB - Existem vários tipos de lente, a rígida, gelatinosa, descartável etc. Quais as diferenças entre elas? Todas as pessoas podem usar todos os tipos?

"As lentes rígidas são inicialmente mais desconfortáveis, mas têm determinadas indicações que favorecem muito o ganho de visão para o paciente, como no caso de alterações corneanas..."

Dra. Cristina de Castro Lima Vargens Sena - O médico vai avaliar, a depender do tipo de grau que a pessoa tenha, as alterações que tenha na córnea, qual a indicação específica para cada paciente e ver qual é o tipo que se encaixa melhor naquele paciente. Temos basicamente os dois tipos principais que são as lentes gelatinosas e as lentes rígidas. As lentes gelatinosas são mais confortáveis, porque se adaptam melhor à córnea e corrigem muitas alterações de grau como miopia, hipermetropia, astigmatismo, assim como as questões estéticas, como, por exemplo, o paciente que quer mudar a cor do olho e as alterações já descritas. As lentes rígidas são inicialmente mais desconfortáveis, mas têm determinadas indicações que favorecem muito o ganho de visão para o paciente, como no caso de alterações corneanas, alterações de ceratocone, em que se alcança um ganho de visão para aquele paciente. Às vezes, um paciente que não consegue ter visão normal consegue, com a lente rígida, uma visão completamente normal porque ela regulariza a superfície corneana. 

iSB - E as lentes descartáveis? Qual a diferença?

Dra. Cristina de Castro Lima Vargens Sena - As lentes descartáveis diferem apenas no tempo de uso. Na verdade, eu particularmente não indico praticamente nenhuma lente gelatinosa para dormir. Eu tenho isso como rotina, a não ser que seja um caso específico, apesar de determinados tipos de lentes terem uma indicação para dormir, pois, quanto mais evitar e proporcionar um período de descanso do olho sem a lente, é melhor, conforme as razões que já citei. O olho precisa estar respirando, oxigenando. O mais importante, na verdade, é seguir as orientações do médico, porque ele vai saber exatamente quais são as características da sua lente e como deve ser usada. E o mais importante no caso da lente descartável é respeitar o seu tempo de uso, pois tem aquelas para uso de um dia, de um mês e de um ano. As conhecidas como descartáveis geralmente têm duração de um mês, de 30 dias ou de um dia, ou seja, lentes diárias ou lentes mensais. As lentes anuais para uso de um ano, não são mais consideradas como lentes descartáveis.

iSB - Quais são os cuidados que devemos ter para manter a vida útil das lentes?

Dra. Cristina de Castro Lima Vargens Sena - Primeiro usar os produtos específicos para determinados tipos de lentes. Hoje, as lentes descartáveis facilitaram muito, assim como os produtos novos que são soluções multiuso que, ao mesmo tempo, limpam e conservam. Isso melhorou o manuseio, o dia a dia com a lente, porém, é importante que se utilizem os produtos específicos que o médico indicar. Nada de uso de soro fisiológico, um meio de cultura que pode ser contaminado facilmente, então, não deve ser utilizado para limpeza da lente. Deve-se, também, respeitar o seu tempo de validade e evitar dormir com ela, o que é importantíssimo. 

"Deve-se, também, respeitar o seu tempo de validade e evitar dormir com ela, o que é importantíssimo. "

 

iSB - Com o tempo, as lentes perdem o grau, ficam mais fracas?

Dra. Cristina de Castro Lima Vargens Sena - As lentes não perdem a qualidade do grau, mas o seu material vai começando a ficar envelhecido e isso vai causando microtraumas na córnea que podem ser portas de entrada para patógenos, enfim, podendo contaminar o olho de alguma maneira.

iSB - Existe uma idade mínima ou uma idade máxima para uso de lentes?

Dra. Cristina de Castro Lima Vargens Sena - Não. Hoje utilizam-se lentes até em bebês, dependendo do caso, por exemplo, cataratas congênitas, normalmente você tira a catarata e não é possível implantar a lente intraocular que é o que se faz na cirurgia de catarata em um adulto. No caso de bebê, não se pode fazer isso em um primeiro momento, mas somente depois de certa idade. Então, inicialmente, para o paciente não ficar com aquele grau tão alto, utiliza-se a lente nessas crianças, que são, tanto rígidas como gelatinosas. E, dependendo do caso, é feita uma escolha entre a família e o médico. Deve ser avaliado todo o ambiente daquela criança, os cuidados que ela poderá receber para ver a necessidade que ela tem do uso de lentes e verificar se é uma coisa possível ou não. Isso é uma decisão conjunta com a família. Portanto, o uso de lentes é possível em qualquer idade, inclusive em bebês. 

iSB - Existem casos em que as lentes superam a indicação dos óculos, ou seja, é mais indicado usar uma lente?

Dra. Cristina de Castro Lima Vargens Sena - Com certeza. Existem casos em que os óculos não resolvem completamente o problema. Como eu expliquei, uma anisometropia, que só deve colocar uma diferença de um olho para o outro nos óculos, em torno de três graus para mais ou para menos. No uso das lentes de contato não, não há esse limite, podendo colocar zero em um olho e dez no outro que não tem problema. Por exemplo, também na questão do ceratocone, os óculos ficam fora do olho, então, eles não fazem a regularização que as lentes rígida fazem, por exemplo. São indicações médicas em que a lente supera qualquer outro tratamento ou está indicado para melhora de visão.

iSB - Só para explicar, ceratocone é o quê?

Dra. Cristina de Castro Lima Vargens Sena - Ceratocone é uma alteração na córnea em que você leva a uma ectasia corneana, ou seja, a um aumento na curvatura.

iSB - É um problema em que não pode ser usado determinado tipo de lente?

Dra. Cristina de Castro Lima Vargens Sena - Não são indicadas as lentes gelatinosas. Até existem lentes gelatinosas para usar com ceratocone, mas a rígida é sempre uma primeira opção porque permite uma melhora na visão muito grande.

iSB - Existem contraindicações, ou seja, em determinados casos, não se pode usar lente de contato de jeito nenhum?

Dra. Cristina de Castro Lima Vargens Sena - Geralmente existem contraindicações relativas. As mais comuns são uma infecção prévia no olho, mas, geralmente isso não se aplica a um tipo específico de lente, geralmente é indicada alguma outra que pode ser usada. É preciso verificar também se o paciente tem condições de manusear a lente, que é outra contraindicação relativa, assim como a idade. Devem ser avaliados o benefício e o prejuízo que aquela lente vai trazer ao paciente. É uma questão de bom senso. Dificilmente haverá uma contraindicação absoluta.

iSB - No caso do mau uso, em que pessoas não retiram devidamente as lentes. Quais são os principais problemas?

Dra. Cristina de Castro Lima Vargens Sena - Os principais problemas são as infecções no olho. Pode ocorrer uma úlcera de córnea em decorrência do mau uso da lente e, inclusive, levar à cegueira. Uma pessoa que usa mal a lente terá problemas de oxigenação da córnea também, quando o seu uso excessivo não foi indicado para determinado fim etc.

iSB - Essa questão das lentes coloridas sem grau, apenas de uso estético, pode causar algum problema para a saúde ocular?

Dra. Cristina de Castro Lima Vargens Sena - Os mesmos problemas causados pelo mau uso de uma lente com grau. O mau uso pode ser advindo de qualquer tipo de lente. Os mesmos cuidados que se tem com uma lente que está corrigindo grau, devem ser dispensados à que está corrigindo estética: limpeza correta, observar o seu tempo de validade e evitar o uso excessivo. Esses são os três principais fatores.

O ideal é que a lente seja manuseada em um ambiente limpo, evitar ambientes inseguros na questão de limpeza, lavar bem as mãos, lavar as lentes na solução de limpeza específica, procedimentos que são importantíssimos, tanto na hora em que for colocar quanto na hora de retirar. 

iSB - No caso das mulheres, as lentes devem ser colocadas antes ou depois de se maquear? 

Dra. Cristina de Castro Lima Vargens Sena - Isso é muito relativo. Eu acho mais indicado colocar primeiro a lente e, depois, usar a maquiagem, mesmo porque, no momento em que você coloca, pode lacrimejar e acaba borrando a maquiagem ou até mesmo entrar produtos no olho, mas, cada pessoa tem a sua forma. Não é uma coisa que seja obrigatória de determinada maneira. Porém, o mais indicado é primeiro pôr as lentes e depois usar a maquiagem. Outra coisa importante também é a troca do estojo das lentes, que deve ser feita, pelo menos, de seis em seis meses, sendo sempre lavado com água corrente e secado em ambiente aberto, sem precisar utilizar nada para secar. 

Compartilhe

Autor(es)

  • Cristina de Castro Lima Vargens Sena

    Cristina de Castro Lima Vargens Sena / CRM 15530

    Ingressou na residência de oftalmologia do Hospital Humberto Castro Lima (HHCL) em 2003, após concluir o curso de Medicina da UFBA. Desde 2006 coordena o Departamento de Lentes de Contato do HHCL. É uma das poucas profissionais no país que faz adaptação de lentes rígidas em lactentes e crianças, trabalho em que tem larga experiência e é altamente referenciada. Academicamente, além do trabalho desenvolvido com os residentes no HHCL, está em fase de conclusão do doutorado em Medicina na Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (Bahiana).

Serviços Gratuitos
  • Hospital Humberto de Castro Lima - Instituto Brasileiro de Oftalmologia e Prevenção da Cegueira (IBOPC)
    Tel.: (71) 3173.8200
    Rua Pedro Lessa, nº 118, Canela, Salvador, Bahia, CEP 40.110-050
  • Ambulatório Docente-Assistencial da Bahiana - ADAB
    Tel.: (71) 3276 8200
    Av. D. João VI, 275, Brotas, Salvador, Bahia, CEP. 40.290-000
  • Hospital Universitário Prof. Edgard Santos - HUPES
    Tel.:(71) 328

 

Redes Sociais