Publicada em 27/07/2012 às 00h00. Atualizada em 29/07/2012 às 20h28

Conheça as novidades no Tratamento Ortodôntico

Dra. Máyra Reis Seixas e Dr. Roberto Costa Pinto apresentam recentes avanços da ortodontia, suas vantagens e aplicabilidades.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

Como todas as áreas de saúde, a ortodontia – especialidade odontológica responsável pelo diagnóstico e tratamento dos problemas dento-faciais - está sempre evoluindo, científica e tecnologicamente.  Desde o século passado, esforços estiveram concentrados em resolver grandes desafios estéticos e funcionais, analisar os resultados e a estabilidade dos tratamentos, além de se preocupar com a evolução dos aparelhos e materiais ortodônticos.

" Essas “inovações” proporcionaram menor incômodo e sofrimento aos pacientes - principalmente os adultos - que se tornaram frequentes nos consultórios de ortodontia".



Nas ultimas décadas, grandes avanços aconteceram na área tecnológica, envolvendo a obtenção de  aparelhagens mais estéticas, confortáveis e eficientes. Essas “inovações” proporcionaram menor incômodo e sofrimento aos pacientes - principalmente os adultos - que se tornaram frequentes nos consultórios de ortodontia. Podemos citar algumas das mais importantes:

•    Novos fios ortodônticos, mais flexíveis, proporcionaram maior conforto nas ativações dos aparelhos, liberando forças mais suaves, principalmente nas etapas iniciais do tratamento; 

•    “Brackets” estéticos foram idealizados como uma alternativa para os pacientes que não querem ter o “sorriso metálico”. Fabricados em porcelana, são razoavelmente resistentes e não absorvem pigmentos dos alimentos. Os conhecidos comercialmente por “brackets de safira” (feitos de porcelana monocristalina) são, atualmente, a melhor opção, pois além de serem menores, menos volumosos e mais resistentes, têm uma aparência incolor, o que torna o sistema praticamente imperceptível. Todo esse ganho estético tem um “preço”: os brackets de porcelana são mais volumosos, muito menos resistentes (fraturam com facilidade e frequência) e mais caros que os de metal, além de oferecerem riscos no momento da remoção do aparelho (possibilidade de fratura de esmalte, caso haja pouco cuidado na técnica de descolagem). Para tornar o sistema ainda menos visível, surgiram os fios e ligaduras metálicas recobertas por material de cor branca ou perolizada. 

•    Atualmente, um novo recurso ortodôntico está disponível no mercado. Os chamados “aparelhos invisíveis”, com nome comercial de Invisalign, são placas de acetato semitransparentes, removíveis e trocadas regular e sequencialmente. Essas placas recebem o nome de "alinhadores" e são desenvolvidas por meio de uma moderna tecnologia de computação tridimensional. O Invisalign movimenta apenas os dentes e representa, quando bem indicado, uma alternativa estética muito interessante para o tratamento ortodôntico. São de custo muito elevado e devem ser  indicados para  casos mais simples, envolvendo, basicamente, problemas de alinhamento dentário.

•    Os mini-implantes são pequenos "parafusos" de liga de titânio, utilizados como auxiliares da movimentação dentária. Facilmente instalados e removidos, reduzem, significativamente, a necessidade de uso dos aparelhos extrabucais e dos elásticos intermaxilares, permitindo um tratamento ortodôntico mais rápido, previsível, estético e confortável. 

•    Os “brackets” que dispensam o uso de "borrachinhas", chamados de “autoligáveis”, surgiram com a proposta de obter resultados mais rápidos, por apresentarem menor atrito com os fios durante a movimentação dentária. Esse argumento, apesar de estar sendo maciçamente divulgado, não encontra respaldo na literatura científica contemporânea, e parece não ter fundamento. Além disso, apresentam maior custo que os outros sistemas.

O papel do ortodontista é conhecer e saber orientar sobre os recursos e aparelhos disponíveis na atualidade. Ciente das características, limitações, vantagens e desvantagens de cada um dos sistemas, o paciente poderá tomar sua decisão de modo seguro e consciente.

Vale ressaltar que o resultado final e a estabilidade do tratamento não estão relacionados ao tipo de aparelho utilizado, mas sim, ao correto diagnóstico,  planejamento e condução do caso, executados por profissionais capacitados. 

Compartilhe

Autor(es)

  • Roberto Amarante Costa Pinto

    Roberto Amarante Costa Pinto / CROBA 5648

    Graduado em Odontologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 1985. Mestrado em Ortodontia pela UFRJ entre 1996-1997. Membro da Associação Brasileira de Ortodontia (ABOR). Professor de ortodontia da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP) no curso de graduação em odontologia. Professor convidado do curso de mestrado em ortodontia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) na disciplina de Materiais Dentários para Ortodontia. Professor convidado do Curso de Especialização em Ortodontia da UNiversidade Federal da Bahia (UFBA) na disciplina de Materiais Dentários para Ortodontia.

  • Máyra Reis Seixas

    Máyra Reis Seixas / CROBA 3996

    Graduada em Odontologia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) em 1992. Mestrado em Ortodontia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), entre 1996-1997. Diplomada pelo Board Brasileiro de Ortodontia em 2010. Membro do Colégio Brasileiro de Diplomados pelo BBO e membro da Associação Brasileira de Ortodontia (ABOR).

Serviços Gratuitos
  • Ambulatório Docente-Assistencial da Bahiana - ADAB
    Tel.: (71) 3276 8200
    Av. D. João VI, 275, Brotas, Salvador, Bahia, CEP. 40.290-000
  • Clínica Odontológica - FTC
    Tel.:(71) 3281-8065
    Av. Luís Viana Filho, 8812, Paralela.Salvador,Bahia,CEP: 41.741-590
  • Faculdade de Odontologia UFBA
    Tel.: (71) 3283-9011, Av. Araújo Pinho Nº 62, Canela, Salvador,Bahia, CEP: 40110-150

 

Redes Sociais