Publicada em 15/06/2012 às 00h00. Atualizada em 19/03/2013 às 22h30

Pilates: ontem, hoje e novas perspectivas

Pensando em começar a praticar Pilates? Descubra os benefícios que esta modalidade pode trazer a sua saúde.

CONTEÚDO HOMOLOGADO Bahiana
Compartilhe

O Método Pilates, que nos últimos anos virou moda nas academias em todo o Brasil, foi desenvolvido no inicio do século XX, por Joseph Humbertus Pilates (1883-1967), na Alemanha, Reino Unido e Estados Unidos.  A intenção de Joseph Pilates foi a de desenvolver um método capaz de fortalecer o corpo,  a mente e espírito do ser humano, apostando na interdependência entre estes três fatores.  Muitas histórias circundam as origens do Pilates e, algumas delas, afirmam que o método foi criado por J. P.  em um campo de prisioneiros alemães, na Inglaterra, durante a Primeira Guerra Mundial. 

Durante esse período, J. P. teria praticado e incentivado outros prisioneiros a adotarem exercícios de ginástica de solo em suas rotinas diárias. Apos um período na prisão da Ilha Man, J.P. foi transferido para o Campo de Lancaster onde exercia a função de enfermeiro. Neste local, tentando ajudar os doentes acamados, usava as molas das camas do hospitail para auxiliar os enfermos na prática dos exercícios. 

Apesar de atualmente o método ser bastante difundido em todo o mundo, muitas pessoas ainda têm dúvidas a respeito dos possíveis benefícios que ele pode trazer para o corpo e para mente. Se você pretende iniciar essa atividade, saiba que, através da informação, fica mais fácil suprir suas necessidades pessoais e entender porque essa modalidade é tão recomendada por diversos especialistas.

"A técnica coloca ênfase no alinhamento vertebral e pélvico, melhorando a coordenação, o equilíbrio corporal e a postura, além de colaborar com a redução do stress, com o alívio de tensões e com o ganho de energia". 



Inicialmente os exercícios de Pilates foram desenvolvidos em solo, mas logo passaram a se basear num sistema de treinamento que utiliza aparelhos e a resistência de molas para promover o fortalecimento muscular, o alongamento e a flexibilidade.  Ele ajuda a construir força e resistência nas pernas, abdominais, braços, quadris e costas.   A técnica coloca ênfase no alinhamento vertebral e pélvico, melhorando a coordenação, o equilíbrio corporal e a postura, além de colaborar com a redução do stress, com o alívio de tensões e com o ganho de energia. Vale destacar que existe uma filosofia que circunda o método chamada Contrologia: é a ciência e a arte de desenvolver corpo mente e espirito através de movimentos e o rígido controle da vontade.

O método é ótimo para os indivíduos em todas as idades e níveis  diferentes de condicionamento físico.  Sendo um sistema flexível, o Pilates permite que os diferentes exercícios sejam hierarquizados – indo do grau “iniciante” até o “avançado”.  A intensidade também pode variar a depender de como o corpo se adapta aos exercícios.  Para atingir os benefícios citados, é recomendado que a prática seja feita de forma regular. Aconselha-se, pelo menos, três aulas de uma hora por semana.

"Sendo um sistema flexível, o Pilates permite que os diferentes exercícios sejam hierarquizados – indo do grau “iniciante” até o “avançado”". 



Por essa fliexibilidade, pode ser utilizado, ainda, para a reabilitação de complicações de coluna, joelhos, ombros, quadril, pós operatório de cirurgias ortopédicas, reabilitação de atletas, alívio da dor crônica.  Gestantes também podem praticá-lo, desde que orientadas pelo seu médico e devidamente autorizado por ele.



As aulas de Pilates devem sempre ser ministradas por um instrutor devidamente formado, ou seja, que tenha feito um Curso de Formação em Pilates que atenda às recomendações da Aliança Brasileira de Pilates (ABRAPI) e que tenham a sua formação de base na fisioterapia, educação física ou licenciatura em dança – todos em nível superior.

O Pilates tem crescido bastante no mundo todo e, como qualquer técnica, tem passado por algumas adaptações e renovações tais quais: a possibilidade de praticar os Princípios do Método Pilates na água, Treinamento do Pilates em Suspensão (aparatos presos ao teto, possibilitando atividades aéreas), Pilates Boot Camp (recria as atividades do treinamento militar, lançando mão dos princípios do Pilates) e Yogallates (junção dos princípios do Pilates às posturas do Yoga tradicional). Todas as técnicas mencionadas acima ainda caminham para a validação científica, pois não existem evidencias publicadas. 



Curiosidade:
Com todo este crescimento e reconhecimento da técnica do Pilates como uma ferramenta para o condicionamento físico e saúde mental, a Sciedade Internacional do Pilates lançou o Pilates DAY.

O Pilates DAY é um evento da comunidade de Pilates Internacional, comemorado todo  primeiro sábado de maio de cada ano.

A Missão do Pilates Day é promover apreciação e conscientização dos benefícios do método ao indivíduo. Essa data serve também como uma oportunidade de trazê-lo para as massas, acreditando que é apenas uma questão de tempo para que todo o MUNDO possa praticar e aproveitar seus benefícios.  O foco do evento é cultivar a consciência sobre o Método Pilates. Isso é conseguido através de eventos que são realizados de forma acessível e disponível para as comunidades locais, que geralmente incluem aulas de Mat Pilates livres e abertas ao público em geral.

Referências:

Referências:

1.CHESNUT CH.Treatment of post menopausal osteoporosis,compr Ther 1984;10. 14-7 apud Aisenbrey JA.1987.

2.BETZ SR. Modify Pilates For Clients with Osteoporose,Idea Fitness Journal,2005(http://www.therapilates.com/PDF/modifyingpilates.pdf)

 3.FREIRE FM ,BRANCO de ARAGÃO KGC.Osteoporose:um artigo de atualização,Universidade católica de Goiás,Goiânia 2004.

4.NORD BEC ,CHATTERTON BE ,NEED A, HOROWITZ M.The Definition,Diagnosis and Classification of osteoporosis.Phy Med Rehabil Clín North Am 1995;6:395-414 apud Papler PG ,1997.

5.PINHEIRO MM. Mortalidade após fratura por osteoporose, Arq Bras Endocrinol Metab vol.52 no.7 São Paulo Oct. 2008

 6. PINHEIRO MM, CASTRO CM, Szejnfeld VL. Low femoral bone mineral density and quantitative ultrasound are risk factors for new osteoporotic fracture and total and cardiovascular mortality: a 5-year population-based study of Brazilian elderly women. J Gerontol A Biol Sci Med Sci. 2006

7.IDEA de Fitness Journal,WWW.therapilates.com

8.http://www.copacabanarunners.net/osteoporose.html

9.http://institutocoluna.com.br/10osteoporose.htm

10. www.iofbonehealth.org

Compartilhe
Serviços Gratuitos



 

Redes Sociais